Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O domingo dos primos e amigo

por Ivone Neto, em 19.09.16

A folga do meu irmão Henrique é todo domingo. Esse é o dia que ele fica com o João, seu filho. João é de março, Arthur de abril. 4 anos. Um das Águas, outro do Fogo. E penso que nem preciso dizer de quem é o menino do segundo elemento. Eles adoram brincar juntos.

Ontem, deixei o Arthur cedo na casa de mãe, ele ficou lá esperando a chegada do João e do tio Hique. Eles almoçaram a deliciosa comida da vó Fátima. Foram passear com o tio Hique. Brincaram muito, tomaram sorvete e eu fui encontrá-los depois do almoço na companhia do Gui e minha amiga-vizinha. O som do Rock contagiou mais ainda a diversão. Água, sorvete, sujeira, palhaçada, dança, livraria, caminhada para casa. João não gosta de despedida, o Uber chegou e ele não queria deixar o primo pintando sozinho no sofá. Arthur tomou banho e mergulhou no sono profundo. Acordou procurando o João e o Gui. Sonhava com os momentos recentes.

primos.jpg
Faltou o Gui na foto. Essas imagens foram clicadas pelo meu irmão Henrique antes de chegarmos. Não dá nem tempo clicar os três brincando, correndo, só mesmo observar e curtir. E, claro tirar as pedras do ouvido do Arthur kkk

publicado às 14:51

Cerejeiras, domingo, amizades

por Ivone Neto, em 08.08.16

A amizade é um dos significados associadas a cerejeira. Sua florada dura 1 semana e acontece sempre no inverno. Tão delicadas, leves e belas, as flores das cerejeiras enfeitam as árvores do Bosque do Parque do Carmo e encantam os visitantes. Famílias, amigos, som das músicas e danças típicas japonesas, pic nic, alegria, festa para celebrar a florada. Aliás, o bosque ficou pequeno para tantos visitantes.

Fui junto com uma amiga, sua filha, meus pequenos Isa e Arthur e a amiga Isabela. Trem, metrô, ônibus e chegamos ao parque. Cotia, Carapicuíba, encontro na estação de Osasco e lá fomos nós para aventura do domingo. Saímos com Sol e chegamos ao parque sentindo o vento frio e a garoa. Coisas do clima de São Paulo. Milho para matar a fome e seguimos rumo ao bosque. Andamos por lá entre as árvores floridas. Arthur querendo ir tocar o tambor. A música realmente contagia. Muita fila para comer as delícias japonesas, não dava para enfrentar com 3 crianças. Decidimos voltar. Pegamos o ônibus com destino ao metrô Itaquera, mas eis que Larissa desmaiou e fomos parar no Hospital Santa Marcelina. O motorista parou na frente do hospital e o atendimento de toda equipe foi excelente.

Minha amiga ficou no hospital e eu segui de Uber até o metrô. Com 3 crianças, 3 bexigas (dessas grandes com personagens que tem nos parques e nos dias de vacina). Chegando ao metrô, eu olhei pros 3 e para as 3 bexigas e disse: crianças não tem como levar vocês e as bexigas, podemos doar? Deixamos no Uber e pedi ao motorista que, por favor, doasse para 3 crianças. Tinha uma barraca de frutas, nossa salvação. Comprei banana e eles comeram e fomos compras os bilhetes. Já no metrô, eles vieram brincando, conversando e o Arthur exclamando cada vez que parava em uma estação e entrava mais palmeirenses: “mãe, palmeiras uhuuu”. Sim dia de jogo do verdão o metrô fica mais lindo!

Entrou uma senhora muito parecida com minha mãe, de cabelo curto. Arthur aponta e diz: “mãe essa velinha parece com a Vó Fátima”. A senhora não gostou do comentário pela expressão. Eu disse: Filho não pode apontar para as pessoas e nem chamar de velinha. Ele responde: Ué a Vó Fátima diz que é velinha. Bom chegamos à estação final Palmeiras-Barra Funda. “Mãe, saímos do Corinthians e viemos pro Palmeiras” Diz Arthur. Sim, Arthur, são duas estações distintas, que carregam nome do time e bairro porque os estádios ficam próximos as estações. “Mãe mas aqui é Palmeiras, olha a camisa do moço”. Sim filho. Como é que você torce filho? “Palmeiras, uhuuuuuuu”

E fomos lá para o trem. Eles adoram aquele espaço entre o vagão e o outro. As 3 crianças ficaram surfando no balanço. Queria ter registrado a alegria deles brincando, mas não tive como. Estava muito ocupada observando de perto os três. Enfim chegamos em Osasco. E meu marido foi nos buscar para casa. Deixamos a Isabela em casa. Minha amiga disse: “nossa Ivone você é corajosa”. Meu marido diz: “acho que é louca mesmo”. Eu digo: Quem tem coragem tem uma boa dose de loucura. Sim, um domingo diferenciado faz bem.


Cheguei em casa, consegui falar com minha amiga, Larissa já estava melhor e o Uber as trouxe até em casa. Fiz almojanta. Sim, às 17:00 almoçamos. Crianças banhadas, alimentadas, louça e cozinha limpa, ajudei Isa com a lição de casa. Enfim, depois do relaxante banho fui dormir. E que as amizades sigam florescendo em todas as estações!

13936679_1255904001088319_447976318_n.jpg

13933070_1255904514421601_2044667716_n.jpg 

 

publicado às 13:18

O Arthur é de Marte, a Isa de Vênus

por Ivone Neto, em 22.02.16

Eles são bem diferentes em diversos sentidos. Têm suas semelhanças também, coisas de irmãos. É preciso respeitar a individualidade e afinidades de cada um até no momento da escolha dos passeios. Ontem fizemos essa prática. Fui ao Memorial da América Latina com Isa, ver exposição, brincar, ônibus, trem, metrô, circulando pela cidade. Pequenos e grandiosos momentos que vão compondo o dia. E a imagem que ficou marcada foi ela debruçada sobre o vidro decifrando as imagens no mapa: “mãe o mar margeia o mapa”. Observação singular da menina das águas. Voltamos com uma tremenda fome porque ela não é de comer as guloseimas e certas delícias que encontramos na rua. Um bom prato de feijão e arroz com alface e o descanso, para logo mais brincar com as amigas vizinhas.

Silêncio em casa. Por onde o Arthur com o pai? Na mini-fazenda na companhia de outras crianças e dos animais que ele tanto ama. E demorou chegar, aproveitaram o passeio até os instantes finais. Chegou com cheiro de fazenda, exalando alegria por todos os poros, contando dos porcos, que tirou leite da vaca, andou cavalo, carroça, deu mamadeira pro cabrito, viu galinhas, pássaros. E já saiu correndo pra brincar com a irmã. E eu ri muito com as histórias que o pai contou. Arthur é encantador, faz amizade com todos, é carinhoso e tem um jeito todo especial. Sua beleza transcende e inspira.

Não dá nem pra imaginar a Isa nesse passeio com o Arthur, em que ele entra no estábulo sem medo, pega minhoca para alimentar, tira leite da vaca, ele ama tanto que sua aproximação com os animais acontece de modo natural, parece até que ele nasceu na roça. Por outro lado, a Isa sabe como apreciar a arte, ela fica fascinada com as descobertas da cidade, os prédios, as estações, a arte. Cada um com seu estilo. E vamos repetir a dose, desses passeios mamãe e filha e papai e filho.arthureisa.jpg

 

publicado às 11:08

Isa surpreende

por Ivone Neto, em 28.09.15

Ontem fomos passear em Itu, na Fazenda do Chocolate. Uma grata surpresa foi descobrir que, além das atrações que já conhecíamos, fazia uns 4 anos que não íamos até lá, agora tem um restaurante que serve uma comida deliciosa. Seguimos margeando o Rio Tietê, nas curvas da Estrada dos Romeiros que segue até Pirapora, depois Cabreúva e por fim Itu. A Isa como conhecia, foi levando o Arthur para ver os cavalos, bois, bodes, peixes, patos, coelhos, aves e o que dizer do encanto da Isa com a beleza das penas do pavão. Eu gosto de ficar ali perto da cachoeira para ouvir o canto das águas correndo por entre o verde das plantas. É ritmo elementar.  A Isa é menina das águas e ama o mar, só que seu irmão adora bichos, fazenda, como é pequeno, fica em cima da cerca deslumbrado, e desce e fica num corre corre danado.

 

De repente a Isa diz: “mãe quero andar a cavalo”. O pai também ficou surpreso e me olhou com aquele jeito que diz: “o que você acha?”. Eu a encorajo: “nossa filha que maravilha, vai vencer seu medo”. Eu fui ao seu lado nos primeiros passos e depois sai de mansinho, e fiquei olhando seu sorriso cavalgando. Parabéns Isa, você nos surpreendeu com sua coragem.  Já em casa, na sua cama, antes da oração, ela manda uma mensagem de voz pra irmã que está em Belo Horizonte: "Buda eu andei a cavalo na fazenda". Depois ela completa: “mãe agora o Arthur tem que perder o medo das ondas”. Sim, agora é a vez do Arthur. E assim, vamos mesclando os passeios entre fazenda e praia.

Fazenda-24.jpg

 

Capela de São Roque - Fazenda Chocolate - Itu SP 

publicado às 13:12


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D