Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Arthur, o leitinho, o vômito

por Ivone Neto, em 11.03.19

E o leitinho ele gosta com chocolate. E o do pai é o melhor. Na sua ausência eu até faço e quando ele recebe já diz” mãe será que tá igual o do pai?” Eu tentei, respondo. E a resposta final é: “mãe não está igual do pai. O dele é melhor”. Tudo bem filho, cada um tem um jeito mesmo. “É mãe, mas eu tomei”

O leitinho manhã e noite. E hoje na manhã ele bateu e voltou. E veio a dor de barriga, a palidez e o vômito. Ele está prestes a completar 7 anos e foi a segunda vez que vomitou. A irmã Isa ficou ainda mais apavorada que ele com a cena. Observar a angústia do irmão causa na Isa uma dor imensa. Ficou junto o tempo todo, apoiando: “calma Tutu vai passar”. Depois que ele recobrou a cor, ela já estava ao lado com água para ele tentar tirar o gosto ruim da boca. Já firme ele recebeu abraços da irmã e mamãe. E, enfim conseguimos sair de casa para começar a semana de trabalho e escola.

Ao entrar no carro o pai notou: “Onde você vai com esse chocolate Isa?” Ela responde: vou levar chocolate e leite que tem em casa pra tia Lane pro Arthur nunca mais ficar ruim. E todos caímos na risada da sua forma engraçada e também ficamos comovidos com seu cuidado com o irmão.

27858916_2144100355600867_5024296033864883220_n.jp

 

publicado às 16:20

A tragédia do bolo

por Ivone Neto, em 20.02.19

Sábado à tarde aniversário. Dois bolos, da Bia e Pedro, Isa não comeu nenhum. É que ela gosta de bolo de cenoura com cobertura de chocolate ou só chocolate. Já em casa ela diz: “mãe você faz um bolo de cenoura com chocolate? Eu te ajudo”.

Peguei uma receita na Internet, meu marido foi comprar os ingredientes que não tínhamos em casa e lá fomos nós. Mamãe, Isa e os ingredientes. O bolo foi ao forno. E fizemos a cobertura.

Quando desenformei o bolo minha expressão retrata o resultado:
Socorro o que é isso?
Nem sei como descrever a tragédia do bolo. Os sons das gargalhadas ecoaram pela casa. Ah o riso é um bálsamo.

Depois da comunhão do riso senti que a Isa ficou frustrada. Eu disse: filha nós tentamos. Ela respondeu:
“Sim mãe, tudo bem. Amanhã logo cedo pode ir comprar um bolo de cenoura com chocolate na Dona Deôla?”

Acordamos no domingo e depois da missa passamos na padaria para comprar o desejado bolo. E chegando em casa ela apreciou com muito gosto!

953607600000-Bolo-de-cenoura-com-cobertura-de-choc

Crédito imagem: Panelinha

 

publicado às 14:25

As meninas, o parque e a presença

por Ivone Neto, em 11.02.19

Sou admiradora grata da sua sensibilidade e sei quanto é preciosa minha menina Isa. Quando ela recebe um convite para o aniversário de uma amiga fica muito feliz e contando os dias. Ontem ela acordou saltitante para ir ao parque comemorar o aniversário da Gigi, como ela a chama, a amiga vizinha. Junto com a família de sua também amiga vizinha Lele, ela foi exalando alegria e expectativa.

Ao chegar, exausta e feliz, foi contando da diversão nos brinquedos e até do quanto o monitor a ajudou com sua asma no momento que ela ficou muito cansada. “Mãe bebi muita água e consegui brincar muito com as meninas, estou tão feliz”. E apesar do cansaço, ainda foi comigo visitar sua prima do interior que estava na casa da vovó. E assim vamos aprendendo cada vez mais que PRESENÇA faz toda diferença nas relações.

isaparque.jpg

Diversão no Jump Mania

 

 

publicado às 10:59

A espera da boa nova

por Ivone Neto, em 22.01.19

Estamos esperando a chegada da neta. E por mais que eu tente ficar calma, essa proximidade tem me deixado inquieta, talvez pela grande distância física. Tenho recebido muito carinho de amigas próximas, que chegam em forma de uma palavra de conforto, de felicitações verdadeiras e alegres, de canção e poesia. Aliás, toda ternura tem cheiro poético e eu sou muito grata por ter gente que suaviza minha vida com sua presença.

Tenho sonhado muito e pasmem, até meu sono que sempre foi de pedra como diz minha mãe, tem sido mais agitado e tenho acordado algumas vezes, coisa incomum. Quando desperto eu rezo e meu sono vai retornando doce como brisa de primavera. E ao acordar agradeço pelo dia que nasce sabendo que cada dia que passa fica mais perto do momento do parto. Eu rezo junto das Minhas Mães Marias, as Nossas Senhoras de todas as graças que nos amparam com sua luminosidade amorosa. Essa fase final da gestação não é apenas da mãe, embora seja dela a parte essencial.

T
odos os dias nos falamos, as vezes ela me faz algumas perguntas por mensagem e eu dou risada sozinha, algumas coisas sequer lembro. Tento auxiliar do meu jeito atrapalhado. Se sou uma mãe assim e meus três filhos sobreviveram, sei que a Bruna vai aprender do seu jeito e tempo, com todo seu amor conectado com muitos amores dos que a amam. Sim aprendemos com sorrisos e lágrimas porque a maternidade é uma jornada aprendiz com dores também e até elas nos fortalecem.

Teu ingresso na maternidade começou nesse processo da gravidez, segue firme minha amada Bruna, seus passos construirão o teu caminho maternal. Ele só se faz assim, caminhando.

50408640_10219029628638673_8432223689243623424_n.j

Iluminada filha, te amamos. Quanta honra e gratidão por ser sua mãe!

 

 

publicado às 12:02

Amizade enlaçando o tempo

por Ivone Neto, em 15.01.19

Eu e Zilda nos conhecemos desde menina. Somos amigas conterrâneas e o nosso laço vai além da terra onde nascemos, ultrapassou fronteiras e gerações. Nos reencontramos aqui em São Paulo há aproximadamente 14 anos atrás. Eu já mãe de uma moça, ela de dois meninos. E veio a gravidez da minha Isa, minha segunda gestação e em seguida foi a vez da Julia, para completar a tríade da minha amiga. E eis que também completei minha tríade com meu elemento surpresa menino. E adivinha quem foi uma das primeiras pessoas que soube da minha terceira gravidez e acertou em cheio que seria o caçula Arthur? Ela mesma, a querida Zilda me disse assim que a comuniquei por telefone. Fiquei com a ligação gravada na memória coração. E o tempo segue registrando nossos encontros. E eu sou muito grata por ter personagens assim para compartilhar as estações da vida.

A Isa e Julia já estudaram na mesma escola, moraram no mesmo bairro e hoje, em bairros e escolas distintas, seguem amigas. É tão sublime observar a sintonia dessa amizade. Como elas brincam e se divertem juntas. Seguiremos compartilhando nossas histórias. É laço bênção: amigas mães e filhas!

amigasJuIsa.jpg

publicado às 14:42

Viva a renovação da vida

por Ivone Neto, em 14.01.19

Sou primeira filha, neta e bisneta. Minha filha primogênita também. Em pleno estado de graça, em breve dará luz a tataraneta da minha vozinha. Uau. Que geração de mulheres em diferentes estações. A passagem do tempo enveredando as histórias. Olhando a foto da Bruna bebê, imaginando quais traços dela minha neta terá, fico até perplexa com esse salto atemporal dela se tornando mãe e eu avó. Entre memórias, saudades e perspectivas vou tecendo emoções que desabrocham sorrisos, lágrimas e gratidão pelo presente da vida.

E
u me sinto honrada com essa graça. Presenciar a renovação traz a certeza do quando viver é um ciclo de transformação permanente.

50461239_10218971982397553_3282237114527252480_n.j

 

publicado às 14:58

Arthur emotivo

por Ivone Neto, em 08.01.19

O Arthur chorou na cena de um filme, um choro tão emotivo. Ele disse: “mãe fiquei tão emocionado com a música.” A comunhão da canção e da cena tocaram os sentidos do meu menino. E conversamos sutilmente sobre a importância de demonstrar os sentimentos e falei o quanto as emoções acompanharão seus passos nos mais diversos momentos de sua vida.

Ele, com seu olhar lacrimejando respondeu: “mãe choramos de alegria, tristeza e saudade também né?” E seu abraço terno enlaçou minhas lágrimas.

Q
ue eu tenha a bênção de compartilhar contigo muitas emoções meu filho caçula amado.
Você é sensacional!

47684396_2677598648917699_6323591108517429248_n.jp
o Menino Arthur e seus diálogos sensoriais

 

publicado às 14:49

A menina, o choro, a despedida, a emoção

por Ivone Neto, em 30.11.18

Ontem foi a festa de confraternização da sala da Isa. Eu cheguei na escola e a encontrei aos prantos. A despedida do ano letivo e das professoras é um momento de alegria e lágrimas, de gratidão e saudades. Presenciei o último abraço dela nas duas professoras e fiquei emocionada também lembrando das minhas despedidas escolares. Ela tem muito afeto pelas professoras e aprecia o jeito delas ensinar.

Eu a abracei e no carro ela seguiu chorando. Quando conseguiu ficar mais calma, ainda com os olhos lacrimejando disse: “mãe vou sentir tanta saudade”. Seu rosto vermelho e inchado revelava que o choro foi intenso. Fomos conversando sobre o quanto nossa jornada é marcada pelos encontros e despedidas, inícios e finalizações. O fim é o começo e o começo é o fim em distintos sentidos. Esse movimento cíclico de mudança da vida é contínuo e aprendiz.

A sensibilidade aguçada da Isa aflora suas emoções. Chorar faz bem. E ano que vem será formatura. Agora é férias, hora de brincar, descansar e cultivar saudade feliz. Que venha 2019!

47097532_10218613230628983_2567587593361293312_n.j

 

publicado às 18:51

o menino torcedor

por Ivone Neto, em 23.11.18

Apaixonado por jogar, ele também é um torcedor singular. Eu gosto de futebol desde pequena, além de jogar futebol na escola eu acompanhava como torcedora o meu pai, tio e amigos que jogavam. E incentivo o Arthur a sempre apreciar um bom jogo. A forma como ele vibra com o gol marcado quando está assistindo exala paixão. E isso do seu Santos e de outros times também. E quando ele está jogando e faz o gol então, é sensacional a explosão de sua emoção.

Ele tem acompanhado o campeonato brasileiro. Arthur fica triste quando o Santos perde e também com os times que estão na lanterna. Ontem ao comentar sobre o Paraná ele disse com ar tristonho: “mãe seu eu jogar nesses dois últimos jogos do Paraná e fizer gols dá pra ele não rebaixar?” A empatia do meu menino com o sofrimento do clube me deixou emocionada. E depois que eu tentei explicar os motivos do time já estar rebaixado e que ele é pequeno demais para jogar em time de adultos e etcs, ele até entendeu. Ainda assim, disse:
“Oh mãe e o Sport do Recife também pode ser rebaixado. É triste perder...

Notei sua voz embargada e respondi:
Sim filho é. Só que a derrota também ensina e tudo na vida tem um ciclo, inclusive no futebol. Agora é hora de escovar dentes, rezar e dormir, vamos?

E ele se jogou em meu abraço. E eu senti tanta ternura. Esse é meu filho torcedor!

40510046_2504052706272295_6063495001537511424_n.jp

publicado às 17:53

A confiança é um Raio de Luz

por Ivone Neto, em 21.11.18

Indicar o serviço de educação requer uma dose extra de confiança. Nossos filhos passam muito tempo na escola e esse precioso período envolve diversas atividades. Muitos pais perguntam indicação de escolas e visitam diferentes entidades para escolher o melhor ensino para seu filho. Há muitas variáveis para colocar na balança, o preço, a estrutura, a metodologia e etcs. As indicações dos pais que tem filhos estudando na escola conta muito na decisão. A experiência faz toda diferença para os pais e alunos.

Minha experiência com a escola Raio de Luz completou 9 anos. Meus dois filhos Isa e Arthur viveram muitos momentos especiais na escola. A Isa ficou desde 2 anos e o Arthur desde o maternal. Esse é o ano da despedida. Um misto de sentimentos e recordações despertam enquanto escrevo essas poucas linhas. E a certeza plena de seguir indicando a escola infantil que agora está em nova unidade e com novos passos. Meus votos de sucesso para que todos os atores envolvidos nesse desafio sigam evoluindo nessa missão tão nobre de aprender e ensinar.

Eu poderia escolher várias palavras para caracterizar as qualidades da equipe Raio de Luz. São tantas que afloram com as lembranças que palpitam em meu coração, no entanto, eu vou escolher uma que tem um significado múltiplo pelo que eu acredito que faz toda diferença nesse universo da educação: AFETO. Sim, a AFETIVIDADE enlaça o enredo aprendiz de modo sensorial e deixa marcas. Gratidão Raio de Luz. Muito, muito obrigada!

Raiodeluz.jpg

 

publicado às 16:01


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D