Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A espera da boa nova

por Ivone Neto, em 22.01.19

Estamos esperando a chegada da neta. E por mais que eu tente ficar calma, essa proximidade tem me deixado inquieta, talvez pela grande distância física. Tenho recebido muito carinho de amigas próximas, que chegam em forma de uma palavra de conforto, de felicitações verdadeiras e alegres, de canção e poesia. Aliás, toda ternura tem cheiro poético e eu sou muito grata por ter gente que suaviza minha vida com sua presença.

Tenho sonhado muito e pasmem, até meu sono que sempre foi de pedra como diz minha mãe, tem sido mais agitado e tenho acordado algumas vezes, coisa incomum. Quando desperto eu rezo e meu sono vai retornando doce como brisa de primavera. E ao acordar agradeço pelo dia que nasce sabendo que cada dia que passa fica mais perto do momento do parto. Eu rezo junto das Minhas Mães Marias, as Nossas Senhoras de todas as graças que nos amparam com sua luminosidade amorosa. Essa fase final da gestação não é apenas da mãe, embora seja dela a parte essencial.

T
odos os dias nos falamos, as vezes ela me faz algumas perguntas por mensagem e eu dou risada sozinha, algumas coisas sequer lembro. Tento auxiliar do meu jeito atrapalhado. Se sou uma mãe assim e meus três filhos sobreviveram, sei que a Bruna vai aprender do seu jeito e tempo, com todo seu amor conectado com muitos amores dos que a amam. Sim aprendemos com sorrisos e lágrimas porque a maternidade é uma jornada aprendiz com dores também e até elas nos fortalecem.

Teu ingresso na maternidade começou nesse processo da gravidez, segue firme minha amada Bruna, seus passos construirão o teu caminho maternal. Ele só se faz assim, caminhando.

50408640_10219029628638673_8432223689243623424_n.j

Iluminada filha, te amamos. Quanta honra e gratidão por ser sua mãe!

 

 

publicado às 12:02

Amizade enlaçando o tempo

por Ivone Neto, em 15.01.19

Eu e Zilda nos conhecemos desde menina. Somos amigas conterrâneas e o nosso laço vai além da terra onde nascemos, ultrapassou fronteiras e gerações. Nos reencontramos aqui em São Paulo há aproximadamente 14 anos atrás. Eu já mãe de uma moça, ela de dois meninos. E veio a gravidez da minha Isa, minha segunda gestação e em seguida foi a vez da Julia, para completar a tríade da minha amiga. E eis que também completei minha tríade com meu elemento surpresa menino. E adivinha quem foi uma das primeiras pessoas que soube da minha terceira gravidez e acertou em cheio que seria o caçula Arthur? Ela mesma, a querida Zilda me disse assim que a comuniquei por telefone. Fiquei com a ligação gravada na memória coração. E o tempo segue registrando nossos encontros. E eu sou muito grata por ter personagens assim para compartilhar as estações da vida.

A Isa e Julia já estudaram na mesma escola, moraram no mesmo bairro e hoje, em bairros e escolas distintas, seguem amigas. É tão sublime observar a sintonia dessa amizade. Como elas brincam e se divertem juntas. Seguiremos compartilhando nossas histórias. É laço bênção: amigas mães e filhas!

amigasJuIsa.jpg

publicado às 14:42

Viva a renovação da vida

por Ivone Neto, em 14.01.19

Sou primeira filha, neta e bisneta. Minha filha primogênita também. Em pleno estado de graça, em breve dará luz a tataraneta da minha vozinha. Uau. Que geração de mulheres em diferentes estações. A passagem do tempo enveredando as histórias. Olhando a foto da Bruna bebê, imaginando quais traços dela minha neta terá, fico até perplexa com esse salto atemporal dela se tornando mãe e eu avó. Entre memórias, saudades e perspectivas vou tecendo emoções que desabrocham sorrisos, lágrimas e gratidão pelo presente da vida.

E
u me sinto honrada com essa graça. Presenciar a renovação traz a certeza do quando viver é um ciclo de transformação permanente.

50461239_10218971982397553_3282237114527252480_n.j

 

publicado às 14:58

Arthur emotivo

por Ivone Neto, em 08.01.19

O Arthur chorou na cena de um filme, um choro tão emotivo. Ele disse: “mãe fiquei tão emocionado com a música.” A comunhão da canção e da cena tocaram os sentidos do meu menino. E conversamos sutilmente sobre a importância de demonstrar os sentimentos e falei o quanto as emoções acompanharão seus passos nos mais diversos momentos de sua vida.

Ele, com seu olhar lacrimejando respondeu: “mãe choramos de alegria, tristeza e saudade também né?” E seu abraço terno enlaçou minhas lágrimas.

Q
ue eu tenha a bênção de compartilhar contigo muitas emoções meu filho caçula amado.
Você é sensacional!

47684396_2677598648917699_6323591108517429248_n.jp
o Menino Arthur e seus diálogos sensoriais

 

publicado às 14:49


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D