Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


férias no sertão

por Ivone Neto, em 02.02.24

Observar o Arthur se divertindo em atividades que tive o privilégio de viver na infância é gratificante. O paulista com sangue sertanejo aprecia a caatinga onde nasci. Cavalgar, nadar, enveredar pela caatinga, participar da lida do gado, colher umbu no pé, rir dos causos, ouvir as “estórias” de assombração no alpendre, comer as delícias do fogão a lenha, vislumbrar o céu estrelado, dar a bênção ao levantar-se, na hora de dormir, na chegada e na partida...

Nossas férias no sertão foram marcadas por experiências tão diferentes de sua realidade urbana. Todos ficam admirados com seu jeito “desenrolado.” Ele encantado com o rastro da onça, do guará e da raposa. Lá no terreiro de vozinha, o camaleão no juazeiro, o tiú, a cobra passando pelo caminho da roça, os pássaros fazendo festa no amanhecer e entardecer ...as cavalgadas pelas veredas do sertão. Num ambiente que para muitos é hostil, ele estava em casa. Como diz meu tio: “está na essência”

Arthur tomou banho de chuva numa tarde da viagem. Que entrelaçar de memórias e sensações, da mãe e do caçula. O cheiro da água molhando a terra, o sorriso dos sertanejos com essa bênção e a alegria contagiando as casas, as ruas, os sítios e as cidades. Embora cada filho tenha sua singularidade, nossos traços neles revelam semelhanças. Nesse momento registrado, eu fiquei emocionada em reconhecer meus traços no caçula. Essa imagem retrata uma conexão de alma de gerações.

IMG_20240124_202637_012.jpg
Viva as águas das saudades que somos

publicado às 20:09

Crianças de férias, mães trabalhando

por Ivone Neto, em 07.01.23

Um roteiro conhecido de muitas mães e pais que tem que se contorcer de muitas formas para atravessar essa fase. Nosso ano letivo tem duas férias anuais e nem sempre as dos pais coincidem com esses períodos. Não é fácil contornar essa ausência e nem sempre temos condições de programar passeios ou viagens. É um privilégio poder tirar uns dias de folga enquanto eles estão de férias escolares.

Eu digo isso aos meus porque conheço muitos pais que sequer tem recursos financeiros para uma ida ao teatro, cinema ou até um parque. Uma viagem de férias é um sonho nem sempre possível de realizar. Para uma parcela significativa da população falta até o básico. Muitas mães que dependem de creches e escolas tem que recorrer a parentes e amigos nas férias para driblar as dificuldades.

No meu caso, ainda passo sufoco nas férias escolares, mesmo hoje tendo como programar melhor minhas pausas. Eu já ouvi dos meus: “mãe porque você não é professora para tirar férias junto comigo?” É uma equação complicada para os pais que tem que se dividir e tentar alguma programação diferenciada, nem que seja na cidade onde moramos.

Para quem pode viajar tudo fica mais caro nessa chamada alta temporada.  Amarrar as férias apenas para julho e janeiro é um padrão que encarece e sufoca. Ano passado eu viajei em abril e o valor ficou muito mais acessível do que se eu tivesse ido em julho. Como a viagem foi programada com muita antecedência tive como negociar com a escola a reposição dos trabalhos. Na chamada baixa temporada as rodoviárias, aeroportos e outros lugares não ficam lotados como na alta, além de outros benefícios.

Aqui em São Paulo temos muitos atrativos e nem sempre conseguimos aproveitar. Uma boa dica são as atividades das unidades do Sesc que oferecem atrações esportivas, de lazer e culturais. Sempre tem uma programação especial de férias. Programas como o Recreio nas Férias, que acontece em Osasco, e que dá oportunidade para muitas crianças realizarem atividades de lazer nesse período, são excelentes iniciativas.

O clima das férias nem sempre é ensolarado. Em pleno janeiro chuvoso e até frio nesses dias aqui em São Paulo, um dos meus filhos, o caçula de 10 anos, está passando férias no sertão de Pernambuco, no sítio de sua bisavó, na companhia dos meus tios e primos. Além de ser uma experiência enriquecedora por tudo que ele está vivendo lá, é uma estratégia que me deixa segura em saber que ele está se divertindo na presença de pessoas que estimamos muito. É a primeira vez que ele viaja sozinho para tão longe. Ciente de que a saudade também ensina já estou pensando na programação das próximas férias.

Com esforço vamos tentando por aqui construir memórias afetivas das férias. Oxalá mais famílias consigam viver experiências valiosas nessa e em outras fases da vida. Todas as etapas maternais têm elementos árduos e aprendizes. Ser Mãe é um exercício dolorido e incrível.

IMG-20230106-WA0030.jpg
o Menino no sertão

publicado às 23:06

O que fazer nas férias das crianças?

por Ivone Neto, em 17.07.19

“Mãe bem que você poderia ser professora, até leva jeito” Diz a Isa. O jeito que ela cita na frase é que ela diz que sei explicar história quando estudo junto com ela nas provas e que adoro ler. Outro motivo pelo qual ela deseja que eu atue como professora é para sair de férias junto com ela e seu irmão. Sim, eles estão no plantão de férias na escola e eu estou trabalhando nesse longo julho. E costumo trabalhar também nas férias de janeiro. Esses dias ela voltou na mesma tecla: “mãe ainda dá para você estudar e ser professora? Seria tão bom ficar com você nas férias”

Assim como eu, muitas outras mães ficam de cabelo em pé nesse período. Quem não trabalha, consegue fazer uma programação semanal, vai viajar, afinal, eles ficarem só em casa é entediante. Tem outro fator complicador. Viajar em período de férias é mais caro. Quando não há outra possibilidade precisamos pesquisar bem o destino e atrações. Nos feriados também o valor é diferente, o que é bem injusto. Eu tenho fugido desses períodos, preferido viagens mais curtas e fora da chamada temporada. Dá para aproveitar melhor, gastando menos.

Nas férias passadas, sem o plantão de férias na escola, foi bem difícil. Um dia aqui, outro acolá. Encontrar alguém de confiança para ficar em casa não é tarefa fácil. Foi grande meu alívio ao saber que nesse mês de julho teria plantão de férias na escola. Com atividades recreativas que eles estão adorando. Até minha Isa, que pela primeira vez ficou, está apreciando as comidas, brincadeiras, gincanas e terá até passeio externo. E para diferenciar um pouco, essa semana, eles terão o dia de folga do plantão, em casa, com uma tia mais que especial.

E assim vamos desenhando o enredo das férias. Logo mais teremos que planejar a programação das próximas. 15 dias já tenho programado. Ah e sobre ser professora, é um grande elogio da minha Isa saber que na sua percepção eu levo jeito para essa profissão que tanto ADMIRO!

IMG_20190407_153935802.jpg

No Ibirapuera, parque que estimo muito

 

publicado às 15:43

A menina, o choro, a despedida, a emoção

por Ivone Neto, em 30.11.18

Ontem foi a festa de confraternização da sala da Isa. Eu cheguei na escola e a encontrei aos prantos. A despedida do ano letivo e das professoras é um momento de alegria e lágrimas, de gratidão e saudades. Presenciei o último abraço dela nas duas professoras e fiquei emocionada também lembrando das minhas despedidas escolares. Ela tem muito afeto pelas professoras e aprecia o jeito delas ensinar.

Eu a abracei e no carro ela seguiu chorando. Quando conseguiu ficar mais calma, ainda com os olhos lacrimejando disse: “mãe vou sentir tanta saudade”. Seu rosto vermelho e inchado revelava que o choro foi intenso. Fomos conversando sobre o quanto nossa jornada é marcada pelos encontros e despedidas, inícios e finalizações. O fim é o começo e o começo é o fim em distintos sentidos. Esse movimento cíclico de mudança da vida é contínuo e aprendiz.

A sensibilidade aguçada da Isa aflora suas emoções. Chorar faz bem. E ano que vem será formatura. Agora é férias, hora de brincar, descansar e cultivar saudade feliz. Que venha 2019!

47097532_10218613230628983_2567587593361293312_n.j

 

publicado às 18:51

As crianças e o sertão

por Ivone Neto, em 06.01.17

Nossas férias foram no sertão pernambucano. Visitar meus avós, bisavós dos meus filhos. Meu pai e tantos tios e primos, é sempre uma conexão recheada de amor. Mochila nas costas, minha Isa na mão esquerda e Arthur na direita. Estradas, chegadas, partidas. Encontros e despedidas no roteiro da minha infância, que também enlaçam a infância dos meus filhos.

Férias curtas e compridas, vastas em alegrias, amor e gratidão. O cenário tão diferente do habitual dos meus pequenos e eles mergulharam nesse ambiente brincando em árvores, no terreiro de pedras, na liberdade de correr sem obstáculo pelo “grande quintal”.  Brincaram com os cachorros do sítio e fizeram amizades com as crianças. Encantaram-se com a fogueira no terreiro e com o céu estrelado. “mãe consegui ver a constelação”. E tem um trio brilhante de estrelas. Sim filha, as Três Marias que tanto amo. E voltamos com a bagagem cheia de memórias para cultivar saudade feliz.

15875624_1436841686326741_1248634235348364925_o.jp

No Umbuzeiro, na sombra, a flor, o fruto, a brincadeira no sertão

 

publicado às 09:38


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D