Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


As crianças e a quarentena

por Ivone Neto, em 05.04.20

É difícil o confinamento para as crianças. Tão afetuosos que são, adoram companhia, brincar ao ar livre e estar junto dos amigos. Sempre perguntam quando poderão ver aquele ou aquela amiga, que dia vão passear e quando as aulas voltarão, os churrascos, os passeios...

Isa sente muita falta da escola, da sala de aula, do barulho do intervalo, das brincadeiras, das explicações dos professores e de toda rotina escolar. Ela tem conseguido acompanhar as aulas virtuais. Não aprecia esse formato. Sente falta da interação. E até chora quando começa a falar das aulas.

Arthur não consegue acompanhar a aula virtual, prender a atenção dele é complicado. Como ele fica integral e isso é cansativo, a saudade que ele sente são de aulas pontuais como a de educação física, de música e de brincar com os amigos. Tenho feito com ele as atividades dos livros indicadas pela plataforma.

Cheio de energia, Arthur sente muita falta de jogar futebol, andar de bicicleta e poder brincar com os amigos vizinhos. Isa já sente ausência de receber as amigas aqui em casa e de ir passear com elas. Esse período de isolamento revela também o quanto é importante a presença e reforça, até pela dolorida saudade, os laços da família e amigos que eles sentem falta.

“Brincar sozinha não tem muita graça.”
“Que saudade da escola mãe”
“Que dia vou ver meu amigo?”
“Quando vou poder sair de casa?”

Frases que ainda não temos resposta. Não tem data definida. Só fazer nossa parte e esperar que o resultado do distanciamento seja positivo para diminuir o número de infectados. E que Deus nos abençoe nessa travessia. Amém!

66679027_3082875841723309_5927404800940441600_n.jp
os primos juntos na casa da tia Lane

 

publicado às 16:30

Virtual e presencial

por Ivone Neto, em 26.03.15

“Mãe minha amiga tem celular, porque eu ainda não posso ter?” Questiona minha Isa de 6 anos. Já conversamos sobre isso e já expliquei que ela não tem necessidade de ter um celular. Já tem o tablet para brincar no dia e horário que determinamos. Na quarta-feira a noite, por exemplo, é dia de brincar com amiga, com bonecas e brinquedos.

Ela chegou da casa da outra Isa, novamente com o mesmo questionamento já que sua amiga mostrou seu presente celular. Novamente eu argumentei que celular é um aparelho que utilizamos para nos comunicar com as pessoas e que isso é muito importante no trabalho da mamãe para atender os clientes. É também útil para falar com sua irmã mais velha quando ela viaja ou está fora de casa. Enfim, tentei explicar da melhor forma possível que tudo depende do uso que fazemos. E que é preciso que a necessidade seja compatível com cada situação. E esse ainda não é momento dela utilizar celular.

E a conversa seguiu para outro rumo. Foi à vez de dialogar sobre diferenças. A família da sua amiga é a família dela. Sua família é sua família. As regras variam de casa para casa. O ambiente familiar é palco da diversidade e temos que respeitar que lá é assim e que aqui é assado. E esse papão ainda vai render muitas discussões e aprendizados...

Despois fiquei refletindo sobre nosso papo e logo eu me lembrei dos comentários de um amigo que tem certa aversão a essa “conexão” precoce das crianças que já nascem nesse ambiente “conectado”.

 

“Felicitar as pessoas via WhatsApp ou Facebook até mesmo quando você está no mesmo espaço está virando rotina.” P...levanta da cadeira e vai lá dar uma abraço.

 

E completa:

“as crianças ganham tablet ou celular de presente muito cedo, ficam ágeis em telas touch e navegam cada vez menos em universos lúdicos infantis” Tudo em excesso é perigoso.

 

Equilíbrio é palavra chave e um desafio da jornada maternal e de outras trilhas...

publicado às 14:50

Filhas - minha sintonia energética mais sagrada

por Ivone Neto, em 11.11.09

Tenho duas filhas lindas. Sei, sei, toda mãe é coruja e sou coruja assumida. Minhas filhas são meus tesouros preciosos. E o quanto valor e aprendizado há na trajetória da maternidade. É uma missão desafiadora e, sem dúvida, uma oportunidade ímpar de evoluir em todos os sentidos.

Minha Bruna é assim TUDO de especial, tem uma essência que vibra nos seus fascinantes olhos verdes e no sorriso encantador. E ela escreve com o coração, com raízes profundas do seu elemento Terra. A Isa tem uma energia radiante, daquelas que contagia todo ambiente. É minha menina das águas que está sempre em movimento. É observadora e tem um olhar de quem tem muita garra para seguir em direção ao seu oceano.

Tenho o céu azul no olhar da Isa e o mais belo tom de verde das montanhas no olhar da Bruna. Terra & Água. Água & Terra. Laço de amor eterno com o pai Terra e a mãe Água. Que sintonia energética poderosa.

É mesmo uma aliança sagrada a maternidade. Como diz a Bruna o amor mais verdadeiro “amor só de mãe”. Sou muita grata pela bênção de ter concebido duas meninas que estão crescendo. Cada uma na sua fase, uma com 15, outra com 1 ano. Quando as vejo juntas sinto uma emoção tão forte e uma felicidade inundar todo meu ser.

Eternamente estaremos juntas! Minhas estrelas, minhas jóias, minhas fortalezas...
Amo vocês!

publicado às 23:50

Primeiros passos

por Ivone Neto, em 25.06.09

É emocionante ver minha Isa trilhando seus primeiros passos. Ela está aprendendo a equilibrar o corpo, cai, levanta e vai persistindo até conseguir. Ela vê um alvo que a interessa e luta para chegar lá. É uma lição de persistência.

O sorriso,o olhar, o corpo inteiro vibra quando ela chega ao lugar desejado. Ali ela brinca, sorri, diverte-se até algo novo chamar sua atenção ou a fome sinalizar que é hora de mamar. Esse processo de evolução dos primeiros passos, das primeiras palavras, das gracinhas, dos bicos e de tudo mais, é cheio de surpresas e encantos.

Tem também a dor dos dentes que estão apontando. Ela fica mais dengosa, só querendo colo de mamãe em alguns momentos, mas tudo isso faz parte. E o banho então. Como estamos no inverno ela chorou ao sentir frio. E olha que ela adora o banho. O choro é uma expressão que indica que algo a está incomodando e aos poucos vamos aprendendo a identificar quando é manha, quando é dor....a maternidade tem dessas e diversas outras coisas!

Tem dias que estou muito cansada...a dor nas costas perturba...ela está pesada..o sono da madrugada quando me esforço ao máximo para ficar alerta para não cair de sono ao amamentar...e rezo pedindo forças para conseguir manter-me firme porque sei o quanto somos importantes nessa fase tão vital. E quando ela dorme, fico contemplando seu ar angelical.

A Isa é tão observadora, saudável, alegre e cheia de energia. Essa sua energia me dá entusiasmo, criatividade e tantos ensinamentos.Minha gratidão é enorme por essa bênção tão especial chamada Isabelly.

publicado às 11:29

Desafio de ser Mãe

por Ivone Neto, em 17.03.09

Tenho duas filhas com idades bem diferentes. No outono que já sopra, uma delas irá completar 15 anos e a outra 9 meses. Um desafio e uma oportunidade vivenciar fases tão distintas, delas e minha. Elas crescem, eu amadureço. É uma troca espetacular aprender e ensinar de forma simultânea e tão intensa.

Vou construindo minha maneira de ser mãe de acordo com as novas situações que surgem. O importante é que aprendi encarar os problemas por outro ângulo, com positividade, como possibilidade para desenvolver nossa capacidade de criar e recriar, de tentar encontrar soluções com foco no melhor caminho, o da compreensão, do diálogo, da amizade e do amor. Isso não quer dizer que não seja preciso ser exigente e enérgica, pelo contrário, como sempre tive grande dificuldade em dizer NÃO esse processo tem me ensinado que ele é muito valioso em determinadas ocasiões e que pode ser seguido de um SIM que simboliza um grande tesouro. A maternidade é uma bênção e uma grande missão.

 

Cada dia mais eu enxergo que tudo tem um propósito e me surpreendo farejando alertas. É minha intuição sendo praticada, é minha voz interior que orienta e como coração de mãe tem uma intuição aflorada em relação aos filhos. Lembrei de um ditado que minha mãe de vez em quando pronuncia “quando meu coração palpitar....”. Esses “palpites” de mãe merecem atenção. Claro que nem sempre, principalmente, em fases como a adolescência é fácil ensinar os filhos a importância de ficar atento aos sinais, afinal, eles tem seus anseios próprios, estão descobrindo o mundo e certas coisas vão aprender com o tempo e as vivências. Por isso é preciso encontrar um canal de comunicação para que a orientação seja assimilada respeitando a individualidade e o ritmo dos filhos.

 

Nossa família é uma mistura de Água&Terra. Pai e Mãe, Terra e Água, Filhas Terra e Água, respectivamente. Somos tão parecidos e ao mesmo tempo tão diferentes. É uma diversidade conectada de elementos. As filhas têm tanto do pai. Os dois Terra e Terra que o digam, talvez por isso são próximos e distantes, vão de extremos de iguais a distintos, semente e fruto com semelhanças e singularidades únicas, mas que se reconhecem em tantas coisas. A linguagem entre eles tem um formato com poucas palavras e muito sentido. E o PAI com um abraço, um colo e palavras vindas do coração quebra o gelo e promove mudanças demonstrando do seu jeito a imensidão do amor que os une. E o choro de emoção é um retrato do diálogo só deles.

 

Presenciar esses momentos me traz felicidade e a certeza que tocar, sentir e movimentar o amor em família é um desafio grandioso e que, acima de tudo, somos seres unidos por um laço de Amor tão profundo, eterno e abençoado. Com muita fé, agradeço essa graça que me fortalece todos os dias: FAMÍLIA.

publicado às 13:59


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D