Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Cotidiano mãe

por Ivone Neto, em 22.05.15


Essa semana descrevi as primeiras horas da minha manhã. Escrever -  mesmo que de forma rápida - esses passos dos primeiros momentos do dia me fez refletir sobre quanto nós mães fazemos em um curto espaço de tempo. Alimentação, arrumação, escola, locomoção, trabalho e o terceiro tempo com jantar, banho, lição e etcs, transforma nosso dia em um emaranhado de tarefas.  É realmente um desafio organizar tudo e entre tropeços e acertos eu vou tentando fazer o melhor.  Tem dias que esqueço isso, noutro aquilo e vou dando um jeito aqui e acolá para ir encaixando o essencial.

Cada família tem seu ritmo, a minha demanda muita energia no meu cotidiano. Entre alegrias, choros, surpresas e adversidades, vamos caminhando.

crias.jpg
Minha tríade sagrada

 

Quinta-feira, 21/05: Primeiras horas manhã:

4:00 acordar mamadeira Arthur. 6:00 levantar preparar café, arrumar mochilas e uniformes escola, Isa acorda e pede alimento, banana, suco. E ajudar lição. Estender a roupa da máquina, tentar encontrar 1 par de meia, ufa preciso ir ao banheiro, vestir, coloco calça, acorda Arthur. Preparar mamadeira, colocar uniforme nele e que exercício, coloco uma perna, ele sai pulando, coloco outra, até que consigo tudo e vamos escovar dentes. Volto para tentar me arrumar, blusa, pentear cabelo, passar protetor solar. Ah...falta o lanche da Isa, vamos pegar.  Vamos Arthur, ah não já está só de meia. Encontrar tênis, colocar. Bruna chama: vamos elevador cegou. Segura que vou colocar meu sapato. Até que enfim todos no elevador para primeira fase do dia. 7:50 manhã.


Sexta-feira, 22/05
5:15 levanto. Vou direto tomar meu remédio da tireoide. Olho a louça do jantar na pia. E vamos lá limpar a pia. Louça lavada, tomo meu limão matinal e preparo o café. Vou ao banheiro antes de alguém acordar. Volto para cozinha e já ouço resmungos no quarto. Preparo rápido mamadeira do Arthur que acordou. Olho o relógio, 6:00, deito uns 5 minutos com ele que faz cafuné em meu cabelo. Hoje ele acordou de excelente humor. A Isa entra no quarto para o chamego dela, abraço, cheiro. E vamos todos pra sala. Hora dela se alimentar, banana e suco. Preparo o Arthur, as mochilas dos dois, e os dois escovam os dentes brigando por espaço no banheiro pequeno. E lá eu vou eu me arrumar e procurar a carteira de vacinação do Arthur. Hoje ele não escapa da vacina. Termino de me arrumar e eis que encontro a carteira. Ufa! Na hora de sair Arthur diz? Quero fazer cocô! Volta tudo...

publicado às 20:13

Mãe ser múltiplo

por Ivone Neto, em 06.05.14

Sabe aquele velho ditado de que você sabe o que é ser mãe quando é? Realmente refletimos muito sobre a importância de nossa mãe quando somos mãe. Minha mãe tem um processo de entrega profundo. Com os filhos e netos.  Minha irmã também é uma mãe de pura entrega com os gêmeos.  Sua dedicação é ímpar. Sua organização exemplar. Eu já sou mais desprendida com alguns fatores. Diz a filha de uma amiga minha: “nossa como você é zen”. Eu procuro não me estressar com determinadas coisas. Por exemplo, se eu não encontro o par da meia na hora de trocar o Arthur pra ele ir pra escola cedo, eu coloco meia trocada e ele vai assim mesmo.  Meu tempo é raro e entre organizar as gavetas ou brincar com eles, ou até mesmo fazer o jantar, eu fico com as últimas opções.

 

Confesso que tem vezes que preferiria está bem sozinha, especialmente, quando estou em meu momento banho e eles ficam batendo na porta ou, como já aconteceu, saio do banheiro e encontro ela dormindo na frente da porta.  Entre ternura e perplexidade eu vou seguindo minha jornada maternal. E me surpreendo com eles e comigo também. Há tantas diferenças e aprendizados em cada fase. Tem momentos de comunhão com todos eles gargalhando e brincando ao mesmo tempo, que experimento o mais precioso formato de felicidade. O que mais aprendo com meus filhos é a bênção do desapego. Em instantes o choro, em outros sorrisos. Com os três observo que a mudança é o que mais permanece na jornada da vida. Com isso tenho praticado minha filosofia de que MENOS é MAIS e MAIS é MENOS em diferentes aspectos.

 

Sei que sou falha em algumas situações. Eu me perdoo e procuro melhorar no passo seguinte. Certa vez eu ouvi: não sei como você teve filhos, parece que não tem muito estilo para maternidade. Eu respondi com meu sorriso e fiquei pensando quanta generosidade há na diversidade de cada mãe. Essa multiplicidade do ser mãe nos permite enxergar que há muitas possibilidades de ensinar e aprender. Como tenho aversão a rótulos, esse modo de caracterizar mãe assim ou assado me aborrece. Realmente eu não me enquadro em nenhum padrão. Como todas as mães, eu sou única. 

Minhas crias, singulares por essência 

Tags:

publicado às 17:56

Mãe compartilha

por Ivone Neto, em 14.11.11

Sim, mãe compartilha tudo. A alegria e a dor. O sorriso e a lágrima. Hoje fiquei refletindo sobre como a maternidade nos aproxima do amor pleno. E percebo que quanto mais amamos, mais temos capacidade de amar.

Fiquei observando as mães com os filhos (as) na sala de espera do pronto socorro tentando encontrar alívio para a dor dos pequenos (as). Uma mãe com uma menina no colo chorando pela injeção e com lágrimas nos olhos. Eu com a pequena Isa me preparando para entrar na sala de medicação buscando forças para segurar seu corpo frágil de febre. Mãe entra e sai registrando cenas de amor. O apoio carinhoso é um bálsamo que auxilia a cura. Sim, a presença amorosa da mãe é um “remédio” com propriedades milagrosas.


Compartilhar é um verbo-ação frequente no cotidiano maternal. Assim vamos aprendendo com as mais diferentes situações. Cada idade é uma fase de descobertas com tempestades e bonanças. E nesse enredo vamos treinando nossa habilidade de superar obstáculos e celebrar conquistas. Mãe compartilha!

publicado às 21:06

Minhas princesas

por Ivone Neto, em 23.05.11

Elas crescem e me ensinam que os ciclos são perenes.
Minha Bruna que registra em seu Blog passagens do seu coração.
Minha Isa, criança que nos ilumina.
Meus tesouros sagrados. Minhas sementes e frutos.

 

Minha menina Terra


Minha menina Água

publicado às 12:21

Elo de Grandeza

por Ivone Neto, em 13.01.11

Ser mãe nos dá um sentido de grandeza diante do desafio que temos por toda a vida. Acompanhar os passos dos filhos é uma rica oportunidade de aprendizado. Tenho duas filhas com idades bem distintas. Uma com 16 anos e outra com 2 anos e meio. Minha Bruna escreve e me emociona com suas letras carregadas de intensidade. A Isa tem uma energia pulsante e seu sorriso enche nosso lar de felicidade.


A Bruna está numa fase de crescimento e sei que esse período será determinante para a sequência de sua jornada. Ela está “encontrando a pele de sua alma” e esse processo é, sem dúvida, muito precioso. Quanto mais ela estiver próxima de si terá clareza e desenvolverá sua capacidade de realizar seus sonhos. Tenho muito orgulho de suas percepções e do modo como ela expressa suas leituras. Sei que sentirei saudades de sua presença física quando ela estiver viajando pelo mundo. Por outro lado, tenho certeza de seu sucesso e de que ela encontrará seus tesouros pelos caminhos que percorrer.


A Isa diz que já é grande e ai de quem duvidar. “Sou gande”. Ela fala de uma forma tão decidida que me encanta. É uma sensação que emana uma presença firme e uma crença fiel. Que esse sentimento de grandeza evolua cada vez mais fortalecendo seu espírito questionador. Ela é uma criança que tem um olhar vibrante, cujo brilho, é tão especial que inunda minha alma de luz. É uma visão do coração e sei que nele há vida e amor em abundância.


A Isa saindo das fraldas. A Bruna navegando por seu universo. As duas revelando que o tempo é atemporal para o amor. Minhas filhas são estrelas na constelação de minha vida. Há um elo de grandeza entre nós.

Minhas filhas Bruna e Isabelly, meu elo sagrado de amor

publicado às 22:38

As fases da Bruna

por Ivone Neto, em 06.12.10

Minha filha maior tem 16 anos. Ela já passou por muitas fases, assim como a maioria das adolescentes de sua idade. Claro que cada pessoa é única e vivencia ao seu modo cada experiência. Apesar das semelhanças em alguns aspectos com outras garotas de sua idade, percebo com gratidão que ela está crescendo muito e aprendendo com cada erro e acerto de forma diferencial. Em 2010, em especial, senti que ela avançou na percepção e espero que sua leitura continue refinada para seguir melhorando.


Ela tem suas “neuroses” como muitos e quem nas as tem? O importante é ter coragem de enfrentar nossas sombras e olhar para a verdade de nossa essência. Espero que minha filha invista em seu autoconhecimento para fazer escolhas alinhadas aos seus reais propósitos. Às vezes observo-a dormindo e rezo para que ela tenha cada vez mais sede de aprender sobre si mesmo porque sei que isso é fundamental para nos relacionarmos melhor com o próximo. Conhecer a si é um passo constante por que temos a oportunidade de mudar sempre.  

Minha Bruna hoje tem raros amigos. Pessoas que realmente a amam. Um deles é o Anderson e eu o estimo muito pela paciência que ele tem rsrsrs. Ele sempre enaltece sua beleza singular e além de realçar sua beleza física reconhece seu potencial. Ela também enxerga a luz que brilha do espírito desse amigo tão especial. Quando conseguimos ver e ser visto é sinal de que há vibração harmonizada.

Resolvi escolher 2 palavras para caracterizar o 2010 da Bruna: Limpeza e evolução.Desejo para 2011 muita felicidade para minha filha, e, acima de tudo, que ela continue questionando porque “quem questiona avança” como diz minha amiga Fatyma de Moraes.

Minha linda Bruna, minha filha amada. Que Deus a ilumine com seu amor divino. Amém!

publicado às 19:22

A Isa, a dermatite, o tratamento

por Ivone Neto, em 17.11.10

Minha pequena tem dermatite atópica. As curvas dos joelhos e dos braços são as áreas mais atingidas e onde as lesões são mais fortes. Minha maior também tem só que hoje aos 16 anos a incidência é menor. A Isa ainda tem um longo caminho até amenizar. Evitar o suor e o ressecamento da pele é uma das ações cotidianas. Outro fator que contribui negativamente é o estresse. Sim, a criança também tem estresse e precisamos ficar atentos porque nosso estresse também influencia negativamente o ambiente e afeta a criança. Conhecer as causas e efeitos da dermatite e de tantas outras doenças nos coloca em alerta e evidencia a necessidade de toda família participar do tratamento.

Em agosto a Isabelly começou a freqüentar a escolinha e tivemos outras mudanças no roteiro da casa/trabalho/escola. Esse período de adaptações foi difícil e a dermatite atacou em cheio junto com uma tosse alérgica. Utilizei as pomadas, a paciência, os cuidados redobrados. O alívio maior veio com a acupuntura. As crianças respondem rapidamente ao tratamento e ela até curtiu “os brincos” na orelha. Contar com uma profissional competente como a Rosana Lima amplia minha confiança para aprender a conviver com a dermatite.


Acessei o site da AADA e lá encontrei também informações importantes sobre a Dermatite. A soma das informações e orientações da dermatologista, pediatra e acupunturista colaboram para lidar melhor com a dermatite.


Fica a dica do site http://www.aada.org.br/ e a indicação do telefone para agendar consulta com a Terapeuta Rosana Lima: (11) 3682-5614 / 3699-7284 no Esppaço Alpha

publicado às 13:22

Segunda vitoriosa

por Ivone Neto, em 23.08.10

A paciência é vital em muitos processos. Acrescente persistência, determinação e uma generosa dose de amor, e terá um caldo perfeito capaz de nutrir com energia motivadora os passos que nos conduzem a vencer os desafios. Hoje é uma segunda-feira de inverno e é a 4ª semana da Isabelly na escola. E, pela primeira vez, em plena segunda-feira, ela não chorou para vestir o uniforme e saiu comigo sorridente e caminhando. Estou muito feliz com essa conquista e a alegria do início dessa manhã vitoriosa é um bálsamo para trabalhar com muito afinco e conquistar as metas programadas da semana.


Outra lição reforçada é de que o tempo colabora positivamente quando verdadeiramente nos empenhamos. É preciso se comprometer de “corpo, alma e coração” com nossos objetivos. Só assim acordamos e dormimos com a energia renovada para seguir adiante. Se eu tivesse esmorecido com o choro da Isa teria escolhido o caminho mais fácil. Se eu tivesse desistido na 1ª e dolorosa semana não teria recebido o imenso presente de vê-la hoje saindo sorridente para ir brincar e aprender a compartilhar os passos de sua infância.  Se eu tivesse ouvido os outros ao invés de escutar minha voz não teria saboreado esse delicioso gosto de vitória. Então, por isso eu estimulo todas as mães a acreditar que somos sim capazes de eliminar o se e fazer acontecer nossos propósitos.


Essa segunda-feira, 23/08, é um dia marcante na minha jornada. É uma vitória para ser comemorada com muita FELCIDADE porque é uma entre muitas que estão na minha jornada Maternidade. E essa etapa traz ensinamentos que aplico em outros setores da minha vida porque nada é desmembrado, tudo está INTEGRADO!


E depois da escola ela chega em casa cheia de graça para brincar no seu canto.

publicado às 12:10

Os lugares nossos de cada dia

por Ivone Neto, em 17.07.10

Minha filha Bruna está viajando. Passando férias em Fortaleza na casa dos avôs. A pequena Isa está conosco e é incrível como ela sabe os cantos da irmã. O local que ela senta-se à mesa, o seu lugar no carro e sei que a Isa está sentindo sua ausência assim como nós. Ninguém pode ocupar seu lugar, aliás, até porque ela é única. Mas o lugar do qual falo é o que ela costumeiramente fica no lar. Ninguém ouse sentar no lugar da Buda que a Isa fica brava e faz sair. É como se ela estivesse protegendo o canto da irmã. Elas têm mesmo uma ligação forte.

Os filhos tem raízes e asas e vou aprendendo que a proximidade está no coração. A distância física pesa, mas não desconecta quando o amor está na ligação da alma. Quero que minhas filhas sejam livres e felizes e que eu possa acompanhar os passos de suas jornadas. Que elas conheçam bem a si mesmas para que possam estabelecer conexões transparentes e saudáveis com outras pessoas.

Cada dia, semana, mês, ano, vejo-as crescer e aprendo tanto as observando e vivenciando esse crescimento mútuo. Mãe exige muita dedicação. Mãe é puro amor em formas diversas. Mãe é Mãe, cada uma do seu jeito e muitas reunidas na arte de amar.


Momentos Mãe.

publicado às 01:29

A primeira virose

por Ivone Neto, em 05.12.09

Febre que vem e vai. Médico, exames, choro e nada que aponte uma infecção. O diagnóstico: virose. Foi assim com a Isa e outras crianças no Pronto Socorro. Na sala de espera, mães e seus filhos. Pais também, tios, avós, amigos...

Mas o que sempre me chama atenção é a dedicação das mães. Um exemplo de servir que não encontro palavras para descrever. É mãe é mesmo um ser de entrega. O amor que sentimos tem uma grandeza que não há como medir.

Conversando com outras mães trocamos muitas dicas sobre medicação, alimentação, escola e outras atividades do desafio da maternidade. É possível sentir em toda a expressão o carinho em cada gesto, o amor que de derrama no olhar, o sorriso que desperta com outro sorriso. É uma sintonia intensa.

Ver a Isa que é tão danada quieta é tão diferente que dá um aperto no coração. Mas sei que é passageiro e que logo a virose vai acabar e suas energias serão restabelecidas. Tudo tem seu tempo e há muito tempo para aprender com cada experiência.

publicado às 23:15


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D